segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Relatorio do AEE Escola Zuleide Pereira


,0


GOVERNO DO ESTADO DO ACRE
SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO
ESCOLA ZULEIDE PEREIRA


RELATÓRIO ANUAL DO ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO


    (PROFESSORA (S) DA SALA DE RECURSO-
Maria Goreti da Costa Gomes






RIO BRANCO ACRE, JULHO DE 2011 

Maria Goreti da costa gomes
graduada em licenciatura plena em pedagogia pela UFAC, especializada em pedagogia gestora,tendo a formação continuada em vários cursos:
Atendimento educacional especializados, Autista,
Tecnologia Assistiva,Baixa visão,Construção de praticas educacionais para alunos de altas habilidades,
Um espaço para potencializar talentos.






                                    Pessas que fazem parte da minha vida

                                             Jamily e Emilsom

                                                                     GOVERNO DO ESTADO DO ACRE
SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO
COORDENAÇÃO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL





RELATÓRIO DA SALA DE RECURSOS
Este relatório tem como objetivo concretizar o nosso compromisso com a inclusão, mostrar a sua importância e de que forma está sendo trabalhada na escola Zuleide Pereira de Souza. Além disso, explicar todos os trabalhos realizados no ano 2011 pela Sala de Recursos Multifuncional.
É sabido que a Declaração de Salamanca, 1994, afirma que todas as crianças tem necessidades e aprendizagens únicas, tem direito a ir á escola de sua comunidade, com acesso ao Ensino Regular, e os Sistemas Educacionais devem implantar programas, considerando a diversidade humana e desenvolvendo uma pedagogia voltada para a criança.
Com isso, a Sala de Recurso contribui com o processo de inclusão educacional, da seguinte forma: trabalha com os alunos em turno inverso ao ensino regular á que estão matriculados e conforme cronogramas e horários orienta pais e professores para complementar os serviços educacionais comuns. Dentre as atividades curriculares especificas desenvolvidas no atendimento educacional especializado destaca-se : música , pintura, ensino de libras, comunicação alternativa ( internet- jogos , pesquisas, vídeos,), oficinas , palestras, etc.
Nesse sentido, há uma grande variedade de materiais e recursos pedagógicos que podem ser utilizados para o trabalho na sala de recursos ou, até mesmo, na sala regular, entre eles destacam-se: os jogos pedagógicos que valorizam os aspectos lúdicos, a criatividade e o desenvolvimento de estratégias de lógica e pensamento e os jogos adaptados, como aqueles confeccionados em Libras, livros didáticos e paradidáticos e digitais em Libras.
É importante lembrar que o atendimento proporcionado pelo professor de AEE não pode ser confundido com reforço escolar ou mera repetição dos conteúdos programáticos desenvolvidos na sala de aula regular. Mas devem construir um conjunto de procedimentos específicos mediadores do processo de apropriação e produção de conhecimentos.
Dessa forma, cabe ao professor da referida sala atuar como docente nas atividades de complementação curricular específica que constituem o atendimento educacional especializado: atuar de forma colaborativa com o professor da classe comum para definir estratégias pedagógicas que favoreçam o acesso do aluno com necessidades educacionais especiais ao currículo e a sua interação no grupo; promover as condições desses alunos em todas as atividades da escola; orientar as famílias para o seu envolvimento e sua participação no processo educacional; informar a comunidade escolar a cerca da legislação e normas educacionais vigentes que asseguram a inclusão educacional; participar do processo de identificação e tomadas de decisão acerca do atendimento ás necessidades especiais dos alunos;preparar material específicos para o uso dos alunos na sala de recursos:orientar a elaboração de material didático - pedagógico que possam ser utilizados pelos alunos nas classes comuns do ensino regular e articular, com gestores e professores, para que o projeto pedagógico da instituição de ensino se organize coletivamente numa perspectiva de educação inclusiva.
Em relação a forma de atendimento, pode ser individual ou em pequenos grupos, desde que os alunos apresentem necessidades educacionais semelhantes, em horário diferente daquele em que frequenta o ensino regular.
É importante enfatizar que não há um único processo de adaptação curricular válido para qualquer situação ou realidade educativa , cabendo a cada contexto escolar buscar soluções que melhor atenda á sua comunidade. Entretanto, todo projeto de trabalho deve apontar para a possibilidade de se buscar novos conhecimentos e recursos, que venham contribuir na inserção dos alunos com necessidade especiais no espaço escolar.
De forma geral consideramos uma experiência muito válida para repensar nossa prática pedagógica e a partir das discussões poderemos direcionar nossa proposta certos da participação de todos da comunidade garantindo a gestão democrática e participativa.
Com base nisso, nos engajamos nesse trabalho com a expectativa de difundir mais e mais a sensibilização dos professores, familiares e demais alunos que convivem com as crianças com deficiência inseridos na comunidade escolar. No início foi bastante difícil, surgiram alguns problemas, o que foi encarado com normalidade.
Em seguida, nos pautamos no trabalho direcionado ao atendimento ao aluno por meio do acompanhamento do trabalho do professor do ensino regular e de atividades diversificadas planejadas, considerando o seu interesse, sua disponibilidade e, claro, suas necessidades específicas. E, através das observações do desenvolvimento das referidas atividades e do envolvimento do aluno nessas atividades, tornava-se possível compreender que o tempo esperado desses alunos tornava-se um problema na sala regular, pois o aluno com deficiência, especialmente o com deficiência intelectual, era mais prejudicado. Por isso, foi intensificado o trabalho com os professores por meio de conversas e palestras, o que possibilitou um acréscimo no tempo esperado desses alunos.
Finalmente ressaltamos a importância de cumprir as leis que dão sustentação à inclusão. É preciso colocar em prática o que já está legalmente garantido para que a diversidade seja respeitada e valorizada, e assim proporcionar a todos os seres humanos o desenvolvimento integral de suas capacidades favorecendo e reconhecendo o direito às diferenças.
___________________
Professora de apoio


GOVERNO DO ESTADO DO ACRE
SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO
COORDENAÇÃO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL
Relatório Individual
Dados de identificação:



Aluno ( a ): Sebastião Weslei Barros Cabral
Data do nascimento: 23/05/1998
Nome do pai: Antonio Cabral de Mesquita
Nome da Mãe: Nilsivanio de Lima Barros
Comprometimento: INTELECTUAL
Tipo de problema: Tem dificuldade na aprendizagem, com pouca capacidade de raciocínio.
De acordo com o trabalho desenvolvido no presente ano na Sala de Recurso Multifuncional desse estabelecimento de ensino é que apresenta-se o relato das atividades relacionadas às potencialidades e dificuldades apresentadas pelo aluno em questão, levando-se em consideração o desempenho e as observações realizadas nos aspectos cognitivo, psicomotor, afetivo, bem como da participação e o envolvimento da família no processo educativo.
Antes de tudo, salienta-se que o aluno Sebastião Weslei, 14 anos, encontra-se no terceiro ano do ensino fundamental e ainda não adquiriu os conceitos, estando em fase de aprendizagem. O mesmo demonstra pouca capacidade de raciocínio para estabelecer relações de diferenças e semelhanças mas é capaz de colocar em ordem alguns materiais com base em certos critérios, apesar de ser pouco sistemático para recolher dados e mostrar dificuldade em separar o essencial do acessório. Ele compreende instruções simples, não atendendo várias ordens seguidas em atividades de vida social autônoma.
No que se refere a interação demonstra dificuldade em iniciar uma conversação, contar experiências ou situações imaginárias. Por outro lado, pronuncia todas as palavras corretamente. Observa-se um nível geral ligeiramente inferior ao que seria considerado normal em sua idade, no que diz respeito à coordenação dinâmica geral e visual-manual. Mostra mais interesse nos momentos das atividades no pátio. Com os colegas, demonstra agressividade em situações de conflito, usando meio físico para alcançar o que deseja. Já com a sua professora tem uma ótima relação, embora costume não aceitar e compreender as solicitações da mesma, demonstrando muita dificuldades em cumprir regras.
Além disso, sentimos a ausência do acompanhamento familiar, embora a escola tenha orientado sua família ao seu envolvimento e participação no processo educacional. Diante das necessidades apresentadas utilizamos a tecnologia na atividade escolar como estímulo e criatividade, além de jogos pedagógicos que desenvolvam o raciocínio lógico, a percepção e a concentração como jogo da forca, jogo da memória, alfabeto móvel, dominó de palavras, entre outros.
Já na parte escrita foram usados textos mimeografados como músicas conhecidas, poesias e parlendas, fazendo sempre ditado de palavras dos textos trabalhados para que ele possa fazer uma relação entre o que ouviu e o que escreveu; bem como leituras diárias, rodas de conversa, dando ênfase à hora de contar histórias, pois acreditamos que o lúdico tem papel de extrema importância no desenvolvimento da aprendizagem. Mesmo com as dificuldades apresentadas em algumas tarefas, o referido aluno apresenta algumas habilidades que foram alcançadas durante todos os trabalhos realizados, O aluno irá para a série seguinte, porém ainda precisa do acompanhamento do professor de apoio nos próximos anos. Coordenadora / Diretora


GOVERNO DO ESTADO DO ACRE
SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO
COORDENAÇÃO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL

Relatório Individual
Dados de identificação:
Aluno ( a ): Daniele Oliveira de castro
Data do nascimento: 08/09/1999
Nome do pai: Francisco Vagner de Castro
Nome da Mãe: Maria das Dores de Oliveira
Comprometimento: INTELECTUAL
Tipo de problema: Tem dificuldade na aprendizagem, com pouca capacidade de raciocínio.
De acordo com o trabalho desenvolvido no presente ano na Sala de Recurso Multifuncional desse estabelecimento de ensino é que apresenta-se o relato das atividades relacionadas às potencialidades e dificuldades apresentadas pelo aluno em questão, levando-se em consideração o desempenho e as observações realizadas nos aspectos cognitivo, psicomotor e afetivo, bem como na participação e o envolvimento da família no processo educativo.
Desde o início do trabalho com a aluna Daniela observou-se que a mesma demonstra pouca capacidade de raciocínio, seu pensamento lógico-matemático é concreto, não tem desenvolvido noções de classificação nem de seriação, apresenta algumas trocas de som (dislalias), não reconhece o alfabeto completo, apenas algumas letras. Sobre a numeração, não adquiriu os conceitos, estando ainda em fase de aprendizagem. Ela apresenta dificuldade de aprendizagem na escrita não estabelecendo correspondência entre segmentos do falado e segmentos do escrito.
Observa-se um nível geral ligeiramente inferior ao que seria considerado normal em sua idade no que diz respeito a sua aprendizagem. Tem facilidade em se socializar com todos, trabalhar em grupos, procura sempre chamar a atenção dos que estão em sua volta, fazendo vários tipos de perguntas de modo que não tem nada a ver com o assunto trabalhado, repetindo sempre as mesmas perguntas. Sua relação com a professora é boa e com os colegas tem muita facilidade pra fazer amizades, apresentando ser uma criança muito dócil e carente.
Seu raciocínio é comprometido, mas com auxilio da escola e com ajuda da família, tem avançado em algumas habilidades, pois utilizou-se a tecnologia nas atividades escolares como estimulo e criatividade, o desenvolvimento do raciocínio lógico, a percepção, a alegria e a descontração tão fundamentais na construção do conhecimento, realizando alguns jogos pedagógicos e trabalhando com material concreto. Mesmo com as dificuldades apresentadas em algumas tarefas, a referida aluna apresenta algumas habilidades que foram alcançadas durante todos os trabalhos realizados. O aluno irá para a série seguinte, porém ainda precisa do acompanhamento do professor de apoio nos próximos anos..





GOVERNO DO ESTADO DO ACRE
SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO
COORDENAÇÃO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL

Relatório Individual
Dados de identificação:
Aluno ( a ) Luiz Felipe Figueredo da silva
Data do nascimento: 04/07/1993
Nome da Mãe: Francisca Gercina da Silva
Comprometimento:(deficiência múltiplas)
Tipo de problema: apresenta pouca capacidade de raciocínio e dificuldade na compreensão e na aprendizagem)
De acordo com o trabalho desenvolvido no presente ano na Sala de Recurso Multifuncional desse estabelecimento de ensino é que se apresenta o relato das atividades relacionadas às potencialidades e dificuldades apresentadas pelo aluno em questão, levando-se em consideração o desempenho e as observações realizadas nos aspectos cognitivo, psicomotor e afetivo, bem como na participação e no envolvimento da família no processo.
Em relação ao desenvolvimento cognitivo observa-se um nível geral ligeiramente inferior ao que seria considerado normal em sua idade. Ou seja, Luiz Felipe, aos dezessete anos, demonstra pouca capacidade de raciocínio e ainda não reconhecendo o alfabeto completo, apenas algumas letras. Também apresenta dificuldade de aprendizagem na escrita, não estabelecendo correspondência entre segmentos do falado e segmentos do escrito, bem como em copiar atividades do quadro de giz, o aluno troca palavras e escreve em linhas alternadas.
No que diz respeito à aprendizagem, o mesmo aprende de forma sinestésica, pois tem maior facilidade em aprender quando pode ver e tocar objetos concretos relacionados aos conteúdos que estão sendo estudados.
Assim, pode-se afirmar que seu raciocínio, apesar de comprometido, tem avançado bastante em alguns aspectos, devido o auxilio da escola juntamente com o da família, tanto por meio do uso da tecnologia nas atividades escolares como estimulo e criatividade quanto por meio de jogos concretos, os quais possibilitam o desenvolvimento do raciocínio lógico, da percepção e da alegria, fundamentais na construção do conhecimento.
Já no que se refere à sociabilidade e afetividade é importante pontuar que o mesmo tem facilidade de se associar com as pessoas em geral, trabalhar em grupos, fazer amizades, relacionando-se bem com todos que estão à sua volta, inclusive com a professora da sala regular, apesar de sempre chamar a atenção para si nas atividades coletivas.
Quanto a participação e o envolvimento da família no processo ensino-aprendizagem registra-se que é constante, uma vez sua mãe sempre está atenta no momento em que a escola solicita, embora que nos trabalhos pedagógicos a mesma não tenha muito conhecimento para ajudá-lo.
Mesmo com as dificuldades apresentadas em algumas tarefas, o referido aluno apresenta algumas habilidades que foram alcançadas durante todos os trabalhos realizados, O aluno irá para a série seguinte, porém ainda precisa do acompanhamento do professor de apoio nos próximos anos.
Coordenadora / Diretora Professora de Apoio

GOVERNO DO ESTADO DO ACRE
SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO
COORDENAÇÃO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL

Relatório Individual
Dados de identificação:
Aluno ( a ): Noemia Vitória Araújo Calixto
Data do nascimento: 14/10/2001
Nome do pai: Francisco Carlos Calixto de Souza
Nome da Mãe: Ana Maria Correia de Araújo
Comprometimento: Físico e Intelectual
Tipo de problema: Baixo rendimento escolar, dificuldade na compreensão e no raciocínio.
De acordo com o trabalho desenvolvido no presente ano na Sala de Recurso Multifuncional desse estabelecimento de ensino é que se apresenta o relato das atividades relacionadas às potencialidades e dificuldades apresentadas pelo aluno em questão, levando-se em consideração o desempenho e as observações realizadas nos aspectos cognitivo, psicomotor e afetivo, bem como na participação e no envolvimento da família no processo educativo.
Em relação ao desenvolvimento cognitivo observa-se um nível geral ligeiramente inferior ao que seria considerado normal em sua idade. Ou seja, Noemia Vitoria aos nove anos, apresenta um nível de habilidades motoras fundamentais atrasados para sua idade cronológica. pouca capacidade de raciocínio, ainda não reconhece o alfabeto completo, apenas algumas letras.
No que diz respeito à aprendizagem a aluna usa uma letra para representar cada silaba que compõem a palavra. Faz uso do valor sonoro convencional porque a letra que utiliza para representar a silaba faz parte dela. Pode-se afirmar que seu raciocínio, apesar de comprometido, tem avançado bastante em alguns aspectos tanto por meio do uso da tecnologia nas atividades escolares como estimulo e criatividade quanto por meio de jogos concretos, os quais possibilitam o desenvolvimento do raciocínio lógico, da percepção e da alegria fundamentais na construção do conhecimento.
Já no que se refere à sociabilidade e afetividade é importante pontuar que ela tem facilidade de se associar com as pessoas em geral, trabalhar em grupos, fazer amizades, relacionando-se bem com todos que estão à sua volta, inclusive com a professora da sala regular, apesar de sempre chamar a atenção para si nas atividades coletivas.
Com relação a sua família tem-se mostrado muito ausente no que diz respeito ao acompanhamento e a participação nas suas atividades acadêmicas, por isso, afirmamos que a mesma irá para a série seguinte continuando o seu atendimento na sala de recurso nos anos subsequentes com vistas a melhorar seu amadurecimento em todos os aspectos,


Coordenadora / Diretora Professora de Apoio



GOVERNO DO ESTADO DO ACRE
SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO
COORDENAÇÃO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL

Relatório Individual




Dados de identificação:
Aluno ( a ): Eduardo Souza de Araújo
Data do nascimento: 13/02/2002
Nome do pai: Odonildo Pontes de Araújo
Nome da Mãe: Fátima Silva de Araújo
Comprometimento: INTELECTUAL
Tipo de problema: Dificuldade na aprendizagem e um baixo rendimento escolar.
De acordo com o trabalho desenvolvido no presente ano na Sala de Recurso Multifuncional desse estabelecimento de ensino é que apresenta-se o relato das atividades relacionadas às potencialidades e dificuldades apresentadas pelo aluno em questão, levando-se em consideração o desempenho e as observações realizadas nos aspectos cognitivo, psicomotor e afetivo, bem como na participação e no envolvimento da família no processo educativo.
Primeiramente, pontua-se que Eduardo demonstra pouca capacidade de raciocínio; seu pensamento lógico-matemático é concreto, embora não tenha desenvolvido noções de classificação nem de seriação, apresenta algumas trocas de som (dislalias), não reconhece o alfabeto completo, apenas algumas letras.
Sobre a numeração o aluno não adquiriu os conceitos, estando, ainda, em fase de aprendizagem. O mesmo apresenta dificuldade para atender as explicações mais complexas e dadas por escrito. O aluno mantém uma grande dificuldade em iniciar uma conversação , contar experiência ou situações imaginaria.
Na aprendizagem não estabelece correspondência entre segmentos do falado e segmentos do escrito. Por outro lado, tem facilidade em se socializar com todos. Sua relação com a professora é boa e com os colegas tem muita facilidade pra fazer amizades, apresentando ser uma criança muito dócil e carente.
Além disso, sentimos a ausência familiar do mesmo, embora a escola tenha entrado em contato, mesmo assim não recebemos nenhuma resposta. Para ele avançar em algumas habilidades utilizou-se a tecnologia nas atividades escolares como estimulo e criatividade, o desenvolvimento do raciocínio lógico, a percepção, a alegria e a descontração tão fundamentais na construção do conhecimento. Realizando alguns jogos pedagógicos, e trabalhando com material concreto.
Mesmo com as dificuldades apresentadas em algumas tarefas, o referido aluno apresenta algumas habilidades que foram alcançadas durante todos os trabalhos realizados, O aluno irá para a série seguinte, porém ainda precisa do acompanhamento do professor de apoio nos próximos anos..

Coordenadora / Diretora Professora de Apoio




GOVERNO DO ESTADO DO ACRE
SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO
COORDENAÇÃO DE EDUCAÇÃO ESPECIA
Relatório Individual





Dados de identificação:
Aluno (a): Wandercléia Maria Rodrigues do Nascimento
Data do nascimento: 05/10/2000
Nome do pai:Wanderley Silva da Silva
Nome da Mãe: Clemilda Rodrigues Maciel
Comprometimento: Fisico
Tipo de problema: Dificuldade na aprendizagem e um baixo rendimento escolar.
De acordo com o trabalho desenvolvido no presente ano na Sala de Recurso Multifuncional desse estabelecimento de ensino é que apresenta-se o relato das atividades relacionadas às potencialidades e dificuldades apresentadas pelo aluno em questão, levando-se em consideração o desempenho e as observações realizadas nos aspectos cognitivo, psicomotor e afetivo, bem como na participação e no envolvimento da família no processo acadêmico.
Em relação ao desenvolvimento cognitivo, observa-se que Wanderléia, aos 11 anos, demonstra pouca capacidade de raciocínio, seu pensamento lógico-matemático é concreto, é capaz de colocar em ordem alguns matérias com base em algum critério, compreende e memoriza bem os símbolos visuais, e capaz de compreender instruções simples e de atender varias ordens seguidas quanto as atividades da vida social autônoma.
No que diz respeito à aprendizagem, sua escrita apresenta valor sonoro convencional, ainda que com falhas. Assim, pode-se afirmar que seu raciocínio, apesar de comprometido, tem avançado bastante em alguns aspectos devido o atendimento na sala de recursos e na sala de aula regular, usando recursos tecnológicos nas atividades escolares como incentivo e criatividade e, também, jogos concretos, os quais possibilitam o desenvolvimento do raciocínio lógico, da percepção e da alegria fundamentais na construção do conhecimento.
Já no que se refere à sociabilidade e afetividade é importante pontuar que ela tem facilidade. de se associar com as pessoas em geral, trabalhar em grupos, fazer amizades, relacionando-se bem com todos que estão à sua volta, inclusive com a professora da sala regular, apesar de sempre chamar a atenção para si nas atividades coletivas.
Quanto a participação e o envolvimento da família no processo ensino-aprendizagem registra-se a ausência constante. Com isso, conclui-se que a mesma deverá continuar sendo atendida na sala de recurso nos anos subsequentes com vistas a melhorar seu amadurecimento em todos os aspectos apresentados, a mesma irá para a série seguinte.


Coordenadora / Diretora Professora de Apoio






GOVERNO DO ESTADO DO ACRE
SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO
COORDENAÇÃO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL

Relatório Individual

Dados de identificação:
Aluno (a): SAMARA DOMINGOS DE SOUZA
Data do nascimento:05/03/2003
Nome do pai:
Nome da Mãe: Sandra Maria Domingos de Souza
Comprometimento: deficiência mental
Tipo de problema: Dificuldade na aprendizagem e um baixo rendimento escolar.
De acordo com o trabalho desenvolvido nos meses de março,abril, maio, e junho na Sala de Recurso Multifuncional desse estabelecimento de ensino é que apresenta-se o relato das atividades relacionadas às potencialidades e dificuldades apresentadas pelo aluno em questão, levando-se em consideração o desempenho e as observações realizadas nos aspectos cognitivo, psicomotor e afetivo, bem como na participação e no envolvimento da família no processo educativo.
Sâmara é uma menina de 7 anos que se encontra no segundo ano do ensino fundamental na escola Zuleide pereira de souza. Ela iniciou sua escolaridade aos seis anos de idade e até o momento sua aprendizagem não tem sido muito satisfatório pois a aluna tem frequentado muito pouco a sala de aula, pois nos dias que ela vem não quer ficar com sua mãe no lado,pois passa a aula toda chorando. Mediante isso a aluna não tem conseguida as habilidades pretendida para sua idade. e até o momento a aluna esta no estagio inicial (nível pré- silábico) do desenvolvimento da linguagem escrita. Nas atividades de leitura e escrita, apresenta comportamento que ora oscila entre as atividades. Apresenta dificuldade de concentração, permanecendo um curto tempo interessado pelas as atividades.
Em sala de aula,demostra pouca capacidade de raciocínio, não estabelece relação de diferença e semelhança; pequeno, médio ou grande; sequencia lógica de acontecimentos, isto é, não apresenta raciocínio lógico. È capaz de obedecer as ordens,na verdade tem um comprometimento parecido com os demais alunos. Tem dificuldade s para dar inicio e manter uma conversação,contar experiencias ou situações suas ideias,necessidades e experiencias ligadas à sua viada diária e quando tem tem espaço de confiança em pequenos grupos, tende a expressar-se com mais fluidez.
No desenvolvimento psicomotor da aluna é muito inferior ao que seria considerado normal para sua idade,no que diz respeito a coordenação geral e visual-manual. Sua independência aumentou desde que começou frequentar a escola, como já foi dito anteriormente. Além de comer sozinha e pedir para ir ao banheiro,ela é capaz de atender alguns pedidos quando lhe solicitado algo. identifica em si mesmo e nos outros as partes do corpo. Ainda não tem noção de lateralidade.
A aluna é insegura e por isso mesmo se faz necessário passar para ela a confiança dita anterior. Pois quando mais segura ela se sentir maior será a sua autonomia. apresenta uma agitação constante pois ela sempre busca atenção sendo uma criança muito carente devido ela se torna muito mimada, sempre quer fazer o que ela quer. seu maior interesso e pela a sala de recurso pois ela gosta muito das atividades que são feitos nos computadores.
Do ponto de vista motor não apresenta dificuldade para andar e uma criança perfeita na sua locomoção.
Sua aprendizagem e mais nas atividades mimeografadas individuais, faz questão de receber todas atividades dadas aos demais colegas. Seu nível de atenção aumenta quando e aula de educação artística pois ela gosta de pintura e recorte e colagem. Sua escrita se resume a grafar “AAAAA oOOOO” em qualquer atividade. Ela gosta de ter suas atividades vistas e corrigidas pela professora. Na sala de AEE ela gosta muito das de informática, ela não teve muita dificuldade em manusear o mouse. No “paint” ela consegue selecionar a cor desejada para colorir desenhos,sabe o momento certo de clicar para obter o que deseja.
Em sua linguagem oral ela descreve objetos, pessoas e situações, com apoio visual e de um adulto através de perguntas;responde perguntas simples sobre seu mundo; participa de situações de comunicação, quando esta em grupos pequenos e quando é apoiada por um adulto que a incentive dirigindo-lhe perguntas diretas e simples.

Quanto a participação e o envolvimento da família no processo ensino-aprendizagem registra-se a presença constante da mãe. A criança até gosta de frequentar a sala de recurso embora a mesma tema passado muito tempo internada. Devido as enfermidade a criança ficou no máximo um mês na escola até o presente momento a aluna ainda não retornou para o ambiente escolar.

Coordenadora / Diretora Professora de Apoio




GOVERNO DO ESTADO DO ACRE
SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO
COORDENAÇÃO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL

Relatório Individual

Dados de identificação:
Aluno (a): HILDA GADELHA DE OLIVEIRA
Data do nascimento:11/11/95
Nome do pai:Benedito Leandro de oliveira
Nome da Mãe:Keila de Oliveira Gadelha
Comprometimento:epilepsia,dirretimia cerebral e paralisia mental
Tipo de problema: Dificuldade na aprendizagem e um baixo rendimento escolar.
Hilda é uma adolescente de 16 anos que se encontra no quarto ano do ensino fundamental na escola zuleide pereira de souza. Ela iniciou sua escolaridade aos sete anos de idade e até o momento sua aprendizagem não tem sido muito satisfatório pois a aluna não consegue se concentrar por tempo longo nas atividades dadas em sala de aula, todo o momento a aluna chama pelo o nome da professora e isso chama muito atenção dos colegas apresenta ritmo lento durante as atividades. Não compreende ordens simples, e preciso a professora repetir varias vezes não consegue passar tirar as palavras do quadro. Nas atividades de leitura e escrita, apresenta comportamento que ora oscila entre as atividades. Apresenta dificuldade de concentração, permanecendo um curto tempo interessado pelas as atividades. Conhece algumas letras do alfabeto , usando cada letra para representar uma silaba.
Em sala de aula,demostra pouca capacidade de raciocínio, não estabelece relação de diferença e semelhança; pequeno, médio ou grande; sequencia lógica de acontecimentos, isto é, não apresenta raciocínio lógico. È capaz de obedecer as ordens,na verdade tem um comprometimento parecido com os demais alunos. Tem dificuldades para dar inicio e manter uma conversação,contar experiencias ou situações ligadas à sua viada diária e quando tem espaço de confiança em pequenos grupos, não consegue ficar sentada pois ela fica só chamando atenção da turma.
No desenvolvimento psicomotor da aluna é muito inferior ao que seria considerado normal para sua idade,no que diz respeito a coordenação geral e visual-manual. Sua independência aumentou desde que começou frequentar a escola, como já foi dito anteriormente. ela é capaz de atender alguns pedidos quando lhe solicitado algo. identifica em si mesmo e nos outros as partes do corpo. Ainda não tem noção de lateralidade.
Do ponto de vista motor não apresenta dificuldade para andar e uma criança perfeita na sua locomoção.
Sua aprendizagem e mais nas atividades mimeografadas individuais, faz questão de receber todas atividades dadas aos demais colegas.
Tenho desenvolvidos uso de softwares em computadores, com programas específicos para este fim; Jogos de percepção viso-espacial; Jogos diversificados para o auxilio de leituras, álbuns seriados; fabricação de jogos com formas geométricas para ensino da matemática, tampinhas de garrafas Pet; latinhas de margarina; E.V.A para fabricação de dominós; alfabeto manual colorido com tamanhos e fomas diferentes.
Quanto a participação e o envolvimento da família no processo ensino-aprendizagem registra-se a presença constante da mãe. A criança até gosta de frequentar a sala de recurso embora a mesma tem faltado muito, pois sua mãe tem achado muito cansativo em trazer a tarde devido o sol.
Em sua linguagem oral ela descreve objetos, pessoas e situações, com apoio visual e de um adulto através de perguntas;responde perguntas simples sobre seu mundo; participa de situações de comunicação, quando esta em grupos pequenos e quando é apoiada por um adulto que a incentive dirigindo-lhe perguntas diretas e simples.
Mesmo assim Hilda tem desenvolvido algumas habilidades, pois conhece as letras do alfabeto só não sabe fazer a interjeição das silabas.segundo a observação feita pela sala de recurso o aluno vai avançar para a série seguinte conforme as avaliações do professor da sala regular.




Coordenadora / Diretora Professora de Apoio





GOVERNO DO ESTADO DO ACRE
SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO
COORDENAÇÃO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL

Relatório Individual

Dados de identificação:
Aluno (a): JOEL DE LIMA
Data do nascimento:23/04/99
Nome do pai:
Nome da Mãe:Domitila Barbosa Nogueira
Comprometimento: mental
Tipo de problema: Dificuldade na aprendizagem e um baixo rendimento escolar.
Joel apresenta deficiência intelectual, ela tem 12 anos e cursa o 4º ano em uma escola publica. Nas atividades de leitura e escrita ela se encontra na Hipótese silábica alfabética,pois ora usa uma letra para representar a sílaba e ora usa mais do que uma letra para represem-la. Apresenta um nível de habilidades motoras fundamentais atrasada para sua idade cronológica tem muita dificuldade de concentração.
Em sala de aula, gosta muito de brincar com os colegas,não consegue se concentrar para realizar suas atividades proposta pela a professora embora que o mesma tem apresenta períodos curtos de atenção e se distraem facilmente com pessoas e objetos no ambiente imediato. não gosta de ficar parada sempre escrevendo ou fazendo algumas atividades.
Joel apresenta uma defasagem cronológica entre a linguagem de uma criança apresentada a sua idade. O aluno não consegue montar um quebra cabeça do mais simples,pois ele tem muita dificuldades sempre precisa de ajuda dos outros colegas.
Sobre seu relacionamento com os colegas e professores e bom,pois o mesmo tem muita facilidade para fazer amizade.
Tenho desenvolvidos uso de softwares em computadores, com programas específicos para este fim; Jogos de percepção viso-espacial; Jogos diversificados para o auxilio de leituras, álbuns seriados; fabricação de jogos com formas geométricas para ensino da matemática, tampinhas de garrafas Pet; latinhas de margarina; E.V.A para fabricação de dominós; alfabeto manual colorido com tamanhos e fomas diferentes.
Quanto a participação e o envolvimento da família no processo ensino-aprendizagem registra-se a algência da família. A criança até gosta de frequentar a sala de recurso embora a mesma tem o apoio dos pais para ir a sala de recurso.
Mesmo assim Joel tem desenvolvido algumas habilidades, pois conhece as letras do alfabeto só não sabe fazer a interjeição das silabas. segundo a observação feita pela sala de recurso o aluno vai avançar para a série seguinte conforme as avaliações do professor da sala regular.









_________________________ ____________________________-
Coordenadora / Diretora Professora de Apoio

Alguns trabalho feitos com os nossos alunos na sala de recursoa:













Nenhum comentário:

Postar um comentário